3º Módulo Pama

3º Módulo Pama

Enrolamento dos Bigoudis creme

ENROLAMENTO DOS BIGOUDIS CREME
Penteia-se a mecha, no ângulo de 120º em relação à cabeça, com o dedo indicador e o médio, coloca-se o papel atrás da mecha, em seguida, coloca-se o bigoudi sobre a mecha, apoiando com o dedo polegar, passa-se o papel por cima do bigoudi. Ao passar o papel por cima do bigoudi, devemos lembrar que, para as pontas não ficarem dobradas, empurra-se levemente o bigoudi e, com o cabo do pente, passa-se o papel por baixo do mesmo. Após dada a tensão, começa-se o enrolamento.

OBS: a mecha deverá estar com tensão em todo o processo.
ENROLAMENTO DO AZUL AO AMARELO
Puxa-se a mecha no ângulo de 120ª em relação à cabeça. Coloca-se o papel apoiando com o dedo indicador e médio sobre a mecha e, em seguida, com o dedo anelar e mindinho, fixe a parte de baixo do papel, deixando uma abertura no meio para que possa caber o bigoudi. Colocase o bigoudi por trás do papel, deixando uma abertura no meio para que possa caber o bigoudi. Coloca-se o bigoudi por trás do papel empurrando para frente. Com apoio do dedo polegar e mindinho, movimenta-se o bigoudi para trás para que as pontas do cabelo não fiquem dobradas e, em seguida, passa-se o dedo anelar na ponta do papel, para que na hora do enrolamento a ponta do papel não apareça, dando mais beleza ao enrolamento.








O permanente na boneca é de 120º aproximadamente na cabeça toda, para que possa encaixar em cima da divisão.
Ao pentear as mechas para enrolar, as pontas deverão estar ligeiramente abertas para obtermos uma ondulação por igual tanto no centro da mecha como nos extremos. No enrolamento, fica proibido fechar totalmente as mechas, teoricamente e na prática, com este tipo de enrolamento, obteremos uma diferença no resultado final. O centro da mecha ficará mais ondulado, enquanto os extremos ligeiramente ondulados.
Os bigoudis enrolados também deverão estar alinhados, evitando que fique encavalados entre si. A postura, a delicadeza, a agilidade, o interesse e o acabamento são primordiais. Enrolar a mecha inclinada também está proibido no enrolamento, teoricamente e na prática teremos muita diferença no resultado final.

Primeira e segunda parte: as mechas deverão ser divididas com referência à espessura do bigoudi a ser enrolado.

Terceira parte: na terceira parte, deve-se iniciar o processo de afinamento, ou seja, diminuir o tamanho do bigoudi. Ter também como referência a espessura do bigoudi a ser enrolado.

Quarta parte: continuamos o processo de afinamento, dividindo as mechas de acordo com o bigoudi enrolado.

Quinta parte: na quinta parte, devemos seguir as mesmas técnicas de acompanhar uma divisão já feita, no caso referenciar pela sexta parte que já deverá estar enrolada. Também acompanhar as mesmas cores que foram enroladas na sexta parte.

Esta imagem se refere ao enrolamento em boneca. Não pode ser o mesmo desenho para o enrolamento em modelo, o qual trata o 4º Estágio (Formas).
Sexta parte: no primeiro bigoudi da sexta parte, devemos pegar o ponto de intersecção da segunda com a terceira parte e direcionar o cabo do pente na linha divisória da quinta com a sexta parte, obtendo a mesma espessura do bigoudi a ser enrolado, e será enrolado por cima, igual a 1ª e 2ª parte.

Sétima parte: na sétima parte, é feito o mesmo procedimento de acompanhamento de uma divisão do enrolamento já feita, no caso de ter como referência a quarta parte.

A partir do segundo bigoudi, as mechas deverão também partir da linha divisória e ir ao encontro da divisão já feita na terceira parte.
Oitava parte: na oitava parte, devemos acompanhar a linha divisória, enrolando com as mesmas cores utilizadas na nona parte. Os extremos também deverão acompanhar a espessura do bigoudi.
Após enroladas as mechas, o cabelo deverá estar alinhado nos bigoudis.
Nona parte: na nona parte, devemos ter a linha divisória da oitava com a nona parte como ponto inicial; da espessura da mecha a ser enrolada, deve-se partir a divisão até o ponto de intersecção da segunda com a terceira parte.
A partir do segundo bigoudi, as mechas deverão ser divididas acompanhando as divisões da terceira parte, enrolando a mesma cor da terceira parte.
Décima parte: na décima parte, devemos traçar as divisões de acordo com o bigoudi a ser enrolado, acompanhando os bigoudis enrolados na quarta parte.




CABELOS CURTOS
Para se realizar um permanente em pessoas com cabelos curtos o melhor método de enrolamento é o 1/2 lua.
O enrolamento 1/2 lua é uma técnica que ajuda no caimento do cabelo e minimiza os efeitos visuais das divisões, promovendo um resultado sem marcas e facilitando a finalização de secagem e/ou brushing.
Esta técnica de enrolamento será ministrada no 4º estágio (Formas), visto que o mesmo trata de serviços químicos realizados em modelos.
ENROLAMENTO
Utiliza-se, além do método de enrolamento básico, o método de enrolamento espiral.
O enrolamento espiral inicia-se pela nuca, utilizando o método de enrolamento básico até a metade da orelha (devido ao incômodo ao enxaguar), em seguida inicia-se o enrolamento em espiral.
A divisão é feita no meio da cabeça (na horizontal), na espessura de aproximadamente 2 cm de costeleta a costeleta, até chegar ao topo da cabeça.
A divisão das mechas deverá ser na vertical e feita de acordo com a espessura do bigoudi a ser enrolado.
ENROLAMENTO
A mecha deverá ser penteada na vertical, num ângulo de aproximadamente 120º.
Inicia-se o enrolamento pela parte inferior do bigoudi subindo até a outra extremidade, tendo o cuidado de não ultrapassar a divisão para que não fique encavalado.
A mecha deverá ser penteada na vertical, num ângulo de aproximadamente 120º.
Inicia-se o enrolamento pela parte inferior do bigoudi subindo até a outra extremidade, tendo o cuidado de não ultrapassar a divisão para que não fique encavalado.
OBS: o elástico no enrolamento espiral deverá ser cruzado (torção, formando um “8”).