4º Módulo Formas

4º Módulo Formas

Manto Hidrolipídico


É uma película lipídica que recobre a fibra, composta da mistura de sebo e suor, produzidos pelo organismo, que tem como função a proteção da superfície das cutículas. Uma perda, mesmo parcial, deste lipídio de superfície terá consequências importantes sobre a impermeabilidade do cabelo e abre caminho para deteriorações mais profundas. Seu pH varia entre 4,2 e 5,8.

LIGAÇÕES DE HIDROGÊNIO
Podem ser rompidas pela água ou pelo calor. No simples ato de melhorar o cabelo, a extensão do mesmo é aumentada.
LIGAÇÕES SALINAS
Estas ligações iônicas podem ser rompidas por um produto ácido ou alcalino.

LIGAÇÕES DISSULFÚRICAS
Também conhecidas como ligações de enxofre ou ligações cistínicas, são mais resistentes e necessita-se de um agente redutor químico para rompê-las. A transformação acontece de forma permanente.
A modificação da forma dos cabelos depende, então, da modificação das ligações, de modo temporário ou permanente.

ANÁLISE CAPILAR
Todas as características da haste do cabelo estão relacionadas à sua estrutura. Essas características, propriedades ou atributos dependem, portanto, da condição da haste; dependem da integridade dos componentes do cabelo.
A análise do cabelo está baseada nas propriedades dos fios e permite avaliar a condição dos componentes, possibilitando a escolha correta do processamento a ser usado.
POROSIDADE
Refere-se à compactação da estrutura do cabelo. Quanto menos compacta a estrutura, maior é a porosidade dos fios. Quanto maior a porosidade, maior a absorção de líquidos e produtos químicos.
O cabelo pode ser classificado, quanto a porosidade, como:
• Pouco poroso: é resistente à absorção de água e de produtos químicos e demora a secar;
• Poroso: apresenta aspecto excessivamente seco, absorve água e outros líquidos rapidamente, seca rapidamente e não apresenta brilho;
• Muito poroso: é opaco e quando seco, apresenta maior volume. Suas pontas resistem a tomar forma e se quebram facilmente, a cutícula está danificada por excesso de tempo de processamento químico ou ação mecânica, como a ocasionada pelo uso frequente de escovas sem a devida proteção.
A análise da porosidade ajuda a determinar a intensidade do produto químico a ser usado e o tempo de processamento necessário.
Além da análise capilar, é importante obter algumas informações a mais:
• Se é descendente de índios ou árabes (pois essas raças têm uma estrutura capilar muito resistente);
• Verificar se passou por alguma cirurgia recente;
• Se está fazendo tratamento à base de antibióticos;
• Se a cliente está grávida (caso estiver, aconselhamos a não fazer).
Qualquer produto químico deve ser evitado caso o couro cabeludo não esteja saudável. Os riscos de irritações, queimaduras e agravamento das doenças são maiores. Nenhum produto de transformação (alisantes, relaxantes) deve ser aplicado diretamente no couro cabeludo. Caso esteja irritado, recomende ao cliente a visita a um dermatologista para um tratamento adequado.

OBS.: Podem ocorrer quedas de cabelo desde o bulbo papilar. Tais quedas são originadas por falta de vitaminas no organismo, alterações hormonais, etc. Nestes casos, recomenda-se uma visita a um endocrinologista, pois este solicitará exames mais específicos para estes casos.



TEXTURA E FORMA
A textura é uma qualidade visual; descreve a aparência da superfície de um objeto, por exemplo:
• O cabelo natural vai ter a sua própria textura que vai ser influenciada para sua condição;
• O cabelo pode ser forte e espesso ou fino e suave, brilhante e definido;
• O cabelo poroso irá apresentar-se áspero e opaco;
• O cabelo resistente irá apresentar-se brilhante e vibrante.
Técnicas de forma podem alterar a textura, aumentando ou reduzindo a ondulação. Em geral, quanto mais ondas por centímetro, mais textura haverá no cabelo. Isso ocorre porque há mais facetas para a luz refletir para fora, criando um efeito manchado.
A textura também pode ser alterada pelo tipo de ferramenta de estilização utilizada. Bigoudis criam um resultado muito diferente das espumas, da mesma forma um bigoudi menor irá criar mais ondas num determinado comprimento de cabelo.
A textura pode ser conseguida através do enrolamento e espessura de cabelo nas secções alternadas. Essa mistura de cabelos tratados e não tratados cria novas estruturas e textura, mantendo a ênfase do estilo original.
DIÂMETRO DO FIO
Refere-se a espessura do fio de cabelo, o qual pode se dividir em:
• Fino: em geral, é macio ao toque. Os produtos químicos penetram rápidos e facilmente, é sensível a tratamentos agressivos e muitos frequentes. Os reagentes dos produtos químicos afetam muito a sua estrutura;
• Médio: os produtos químicos penetram facilmente, produzindo bons resultados;
• Grosso: os produtos químicos demoram mais a penetrar.
Cabelos ásperos e grossos possuem um diâmetro maior, com maior força interna e resistência a mudanças. Já os cabelos finos e frágeis possuem um diâmetro menor e são mais sensíveis às mudanças.
A espessura do fio pode variar de região para região na mesma cabeça e também ao longo do comprimento de um único fio. A análise da espessura ajuda a determinar a intensidade do produto químico a ser usado.
Na prática, a visão e o tato, facilmente, nos permitirão constatar essas diferenças, embora esta constatação seja subjetiva. Para um julgamento geral vale a predominância de uma determinada espessura.
Pode-se aferir cientificamente e com exatidão a espessura do cabelo, esta medida está em micrômetros*.

Micrômetros = 1/1000 mm (N.A.)
• Cabelo fino = 50 a 70 micrôm;
• Cabelo normal = 71 a 80 micrôm;
• Cabelo grosso = 81 a 100 micrôm.



Raramente, a forma do corte transversal de um fio de cabelo é exatamente redonda. Em geral é oval e em casos extremos se apresenta chato como uma fita; daí ser denominado “cabelo fita”.
Normalmente são fios quase redondos que podem ser transformados sem problemas. Cabelos ovais e principalmente, cabelos fita reagem menos favoravelmente no “tratamento da permanente”, que por sua vez, possui menor durabilidade.
A IDADE DO CABELO = O COMPRIMENTO
Quanto à alteração do cabelo há dois fatores importantes: a idade e o comprimento. Assim, quanto mais velho e comprido este for, estará sujeito a maiores alterações. Em decorrência, a partir de um determinado comprimento o cabelo não mais estará regularmente estruturado, realidade que na prática nem sempre é respeitada. A explicação é bem simples e há muito comprovada cientificamente.
Considerando, porém, que o crescimento normal de um fio de cabelo atinge 1 cm por mês, sempre se poderá calcular a respectiva idade, simplesmente pelo comprimento.
Pode-se também, imaginar a que carga o cabelo estará sujeito quando atingir, por exemplo, 15 cm de comprimento, levando-se em consideração as influências do meio ambiente, a lavagem periódica, esfregamento para a secagem até o pentear, o escovar, etc.
Uma análise mais objetiva, através de um microscópio eletrônico poderá nos demonstrar que a partir de poucos centímetros acima do couro cabeludo estarão presentes nítidos sinais de desgaste na cutícula, em forma de caspas. Nas pontas dos cabelos, frequentemente, mais da metade das camadas sobrepostas originais de cutículas da inserção capilar, nem mais existem.
Essencial é ter em mente que mesmo um cabelo diagnosticado como “normal”, apresenta na verdade, uma estrutura diferenciada desde a inserção da haste no bulbo papilar até a ponta cuja reação é diversa a um tratamento uniforme da permanente.
Já temos ciência que o cabelo apresenta certa elasticidade, consequentemente poderá ser torcido e vergado em todas as direções, sem acarretar problemas, contudo procurará imediatamente voltar à sua forma original.
Para se obter uma transformação ilimitada e durável é condição prévia a suspensão temporária desta elasticidade e necessário um estado “plástico”.
Plastificação: processo em que se soltarão, temporariamente determinadas ligações (pontes) existentes no cabelo.
A suspensão temporária da elasticidade é um estado alcançado através de diversos meios de solução, onde o mais simples é a água. Deve-se observar, no entanto, que utilizando água existirão transformações de duração bem limitada. Meios químicos, com a ajuda de produtos de redução, também poderão ser utilizados para atingir tal objetivo. Neste caso, conseguida a suspensão, esta terá de ser reestruturada, após o término do processo, através de produtos oxidantes.
DENSIDADE
É a maior ou menor quantidade de fios existentes por centímetro quadrado. Tem relação com a quantidade de fios e não com a textura. Uma pessoa pode ter cabelo fino com muita densidade, enquanto outras podem ter cabelo grosso com fios espaçados e bem distribuídos.
CURVATURA
A curvatura do cabelo varia para cada raça, mas isto não impede que existam diferentes tipos de cabelo no mesmo couro cabeludo, a curvatura pode variar de região para região na mesma cabeça e também ao longo do comprimento de um único fio. Podemos dividir a curvatura em liso, ondulado, crespo e muito crespo.
A análise da curvatura ajuda a determinar a intensidade do produto químico a ser usado.