4º Módulo Formas

4º Módulo Formas

Medidas para os Produtos

LÍQUIDOS 0, 1, 2, 3
MÉTODO DE ENROLAMENTO:
INDIRETO: ENROLAR TODO O CABELO PARA DEPOIS SATURAR:
• Comprimento A = 60ml
• Comprimento B = 90ml
• Comprimento C = 120ml
SEMI-DIRETO: PREPARAR PONTAS E DEPOIS SATURAR:
• Comprimento A = 80ml
• Comprimento B = 110ml
• Comprimento C = 140ml
DIRETO: PREPARA TODO CABELO, ENROLAR E DEPOIS SATURAR:
• Comprimento A = 90ml
• Comprimento B = 120ml
• Comprimento C = 150ml
NEUTRALIZANTE
• Comprimento A = 60ml (2x 30ml)
• Comprimento B = 90ml (2x 45ml)
• Comprimento C = 120ml (2x 60ml)




COMO FUNCIONA UM ALISAMENTO OU RELAXAMENTO CAPILAR QUÍMICO
Conforme descrito anteriormente, o cabelo é constituído basicamente de uma proteína: a-queratina; composta por 4 cadeias polipeptídicas formadas por uma série de aminoácidos e enxofre. Um dos aminoácidos presentes e mais relacionado com a estrutura do fio é a cisteína, responsável pelas ligações cistínicas.
As ligações intramoleculares entre os aminoácidos da mesma cadeia promovem a sustentação da estrutura da queratina. Entre os tipos de interação, temos as fracas como as ligações de hidrogênio e as salinas, e as fortes representadas pelas ligações de dissulfeto. As fracas são rompidas no simples ato de molhar os cabelos.
Os alisamentos definitivos visam romper as pontes de dissulfeto da queratina. A possibilidade de conversão entre as formas oxidadas (RSSR) e reduzidas (RSH) da cisteína é que permite alisar um cabelo crespo ou ondular um cabelo liso. De maneira geral isso é conseguido com fórmulas contendo alguns agentes químicos conhecidos, como: hidróxido de sódio, lítio e potássio, hidróxido de guanidina (hidróxido de cálcio mais carbonato de guanidina), bissulfitos e tioglicolato de amônia ou etanolamina. Essa ação acontece em pH altamente alcalino.
O processo de ondulação permanente enrola o cabelo liso e o relaxamento relaxa o cabelo ondulado. Mesmo que os objetivos sejam tão diferentes, o relaxamento químico é semelhante ao permanente. A química dos relaxamentos à base de tioglicolato de amônia e da permanente é exatamente igual e, embora a química dos relaxantes a base de hidróxido sejam totalmente diferentes, todos os relaxantes e permanentes mudam o formato do cabelo rompendo as ligações de dissulfeto.
Essas técnicas requerem grande cuidado e atenção, pois erros podem causar danos irreparáveis.
O cabelo memoriza sua forma natural e resiste às tentativas de mudá-la. Ele contém milhões de cadeias de queratina com fortes ligações de dissulfeto. As ligações de dissulfeto, peptídicas, salinas e hidrógenas trabalham juntas para criar a surpreendente e forte estrutura do cabelo.
Existem vários tipos de ondulação, veja as figuras abaixo:

Existem dois principais agentes de transformação, que são:


HIDRÓXIDOS = BASE ALCALINA
São indicados para cabelos que variam de crespos a muito crespos.
Há vários e diferentes tipos de cremes relaxantes a base de hidróxido, que podem ser de sódio, de potássio, de lítio ou de guanidina. Em todos eles o íon de hidróxido (OH-) é o agente mais ativo e todos eles são álcalis fortes (bases), que podem dilatar o cabelo em até duas vezes seu diâmetro Normal. A maioria dos cremes relaxantes à base de hidróxido possuem uma concentração extremamente alta de íons de hidróxido (OH-), o que significa que tem um pH muito alto, entre 11,5 e 13, sendo que o pH do cabelo está entre 4,5 e 5.
A neutralização do hidróxido é feita pela neutralização dos resíduos alcalinos (OH-) deixados no cabelo pelo creme relaxante. Como os ácidos neutralizam os álcalis, a aplicação de um shampoo ácido balanceado ou uma loção normalizante neutraliza quaisquer íons de hidróxido restante e baixa o pH do cabelo e do couro cabeludo.
Os cremes relaxantes à base de hidróxido funcionam pelo processo chamado lantionização, que é a remoção de um átomo de enxofre das ligações de dissulfeto. As ligações de dissulfeto que foram rompidas pelos hidróxidos NÃO PODEM SER REFORMADAS, portanto o cabelo passou a ter apenas um átomo de enxofre em toda sua estrutura.

Os cremes relaxantes a base de hidróxido são compostos iônicos formados por sódio (Na), potássio (K) ou lítio (Li), que são associados com o Oxigênio (O) e o Hidrogênio (H). Esses relaxantes incluem hidróxido de sódio (NaOH), hidróxido de potássio (KOH) e hidróxido de lítio (LiOH).


HIDRÓXIDO DE GUANIDINA = HIDRÓXIDO DE CÁLCIO + CARBONATO DE GUANIDINA
(hidróxido) + (líquido ativador) Relaxantes de hidróxido de guanidina (CH5N3) possuem a mesma química básica de todos os outros relaxantes à base de hidróxido, porém, este possui dois componentes que devem ser misturados na hora de usar. Misturar o creme que contém hidróxido de cálcio com um ativador líquido contendo carbonato de guanidina resulta em uma reação química que produz hidróxido de guanidina.

ADVERTÊNCIA: Os hidróxidos são bases muito agressivas. Seu manuseio deve sempre ser feito com luvas e tomando o máximo de cuidado possível. Se ingerido pode causar danos graves e permanentes ao sistema gastrointestinal, irritações e queimaduras. Sua ação é rápida e eficaz podendo causar grandes danos à fibra capilar se deixado por um período prolongado de exposição.



COMPATIBILIDADES E INCOMPATIBILIDADES
Todos os hidróxidos são compatíveis entre si.
Sódio, Lítio, Potássio e Guanidina são incompatíveis com:
• Tioglicolato;
• Tiometacrilatos;
• Tiolactatos;
• Henna;
• Descolorantes;
• Loções progressivas com componentes metálicos;
• Coloração com H2O2 acima de 20 volumes;
• Henê.


TIOGLICÓLICOS = BASE ÁCIDA + AGENTE ALCALINO
Os dois principais compostos químicos para uso com o tioglicolato são a amônia (NH3) e a etanolamina (C2H7NO).
São indicados para cabelos ondulados, cacheados e levemente crespos.
Os relaxantes à base de tioglicolatos usam reações de redução para dividir as ligações de dissulfeto, exatamente como na permanente. Enquanto o relaxante está em contato com o cabelo, um álcali forte, geralmente o hidróxido de amônia, amacia e dilata o cabelo, para que o ácido tioglicólico possa romper as ligações de dissulfeto.
O neutralizante de tioglicolato é um agente oxidante, normalmente um peróxido de hidrogênio, assim como as permanentes. A reação oxidante, resultado do neutralizador, reconstrói as ligações de dissulfeto idêntica ao da permanente.


Quebra e reorganização das ligações do cabelo durante a ação do neutralizante



COMPATIBILIDADES E INCOMPATIBILIDADES
São compatíveis entre si os produtos que contêm tioglicolato ou outro agente redutor tioglicólico.
Os agentes redutores tioglicólicos são incompatíveis com:
• Hidróxidos;
• Henna;
• Descolorantes;
• Loções progressivas;
• Coloração com H2O2 acima de 20 volumes;
• Henê.


TABELA DE REFERÊNCIA DE COMPATIBILIDADES



TÉCNICAS DE APLICAÇÃO
As novas tecnologias dos cremes de relaxamento permitem que os produtos alisem os cabelos por si só, não necessitando de enluvamento e muito menos esfregar as costas do pente nos fios de cabelo, o que danifica a fibra capilar.
Cada empresa tem características próprias para os seus produtos, portanto, obedeça fielmente ao passoa-passo fornecido pelo fabricante!
Em todas as técnicas de aplicação, lembre-se de que a cliente deve estar pelo menos 48 horas sem lavar os cabelos e de proteger muito bem o couro cabeludo e, em caso de retoque, de proteger também a emenda e o comprimento do cabelo onde foi processado o relaxamento anterior.
Todo o trabalho de relaxamento depende desta proteção, pois, se o produto incomodar a cliente ou se o cabelo que já foi processado começar a se desestruturar, será necessário enxaguar o produto, comprometendo todo o trabalho.
Nunca processe um relaxamento em um cabelo que já foi processado anteriormente, pois já houve uma ruptura das ligações de dissulfeto e o cabelo está muito fragilizado.
Sempre faça o teste de mecha antes de qualquer procedimento de relaxamento, pois qualquer reação química será detectada. Mesmo que os cabelos estejam aparentemente saudáveis e a cliente diga que nunca passou produto nenhum, os cabelos podem apresentar reações devido a vários fatores, como poluição, exposição excessiva aos raios UV, pH da água ou shampoos, etc.
Antes de qualquer trabalho é muito importante fazer uma consulta com a cliente. Um bom diálogo para extrair o máximo de informações possíveis da cliente ajuda a ter um diagnóstico preciso, fornecendo maior segurança e proporcionando um resultado mais assertivo.


CRITÉRIOS PARA O TESTE PRÁTICO
Para efeito de teste prático, será considerado somente modelos de retoque de raiz, com comprimento entre 6 e 10 cm, tanto para hidróxidos como para tioglicolatos.
Devido às particularidades do hidróxido e do tioglicolato, cada cabelo reagirá de uma forma diferente em um tempo diferente, portanto, não será cronometrado tempo entre o início e a conclusão do trabalho.


ITENS A SEREM CONSIDERADOS NO TESTE PRÁTICO
Postura, agilidade, limpeza, atenção ao trabalho, técnica de aplicação, controle do tempo de ação e manuseio dos produtos, resultado final e diagnóstico serão os itens observados para aprovação do aluno.