5º Módulo Coloração

5º Módulo Coloração

Regras de Aplicação




PONTAS CHUMBADAS
A aplicação varia de acordo com o grau de clareamento desejado, ou seja, a volumagem do oxidante utilizado.


O processo poderá ser feito da seguinte forma: aplicação raiz, meio e pontas ou aplica-se primeiro meio e pontas, deixa agir metade do tempo e depois aplica-se na raiz, completando o tempo de ação.


RETOQUE
Em caso de retoque de raiz, há três possibilidades de aplicação:
• Caso a conservação da coloração anterior meio/pontas esteja perfeita, aplica-se somente no crescimento da raiz e deixa agir por tempo completo. Após tempo de ação, emulsionar e enxaguar em seguida;
• Caso o cabelo esteja com leve desbotamento, aplica-se no crescimento (raiz) e deixe o tempo de ação, após o tempo, emulsiona-se meio/pontas e deixar agir por 05 a 10 minutos;
• Caso o cabelo esteja muito desbotado ou manchado, aplica-se coloração na raiz, meio e pontas.


COBERTURA DE BRANCOS
Se a cliente tiver mais da metade da cabeça de fios brancos e o cabelo colorido, repita o mesmo procedimento de retoque de raiz. Se for sua primeira coloração, faça a aplicação direta: raiz, comprimento e pontas.


DIAGNÓSTICO
O diagnóstico é o trabalho fundamental na coloração. Podemos dizer que um diagnóstico bem feito é que garante o sucesso da coloração. Quanto mais informação obtermos para analisar, mais perfeito será o diagnóstico e ocorrerá menos risco de acidente.
Nessa etapa, devem ser usadas todas as sensações possíveis, ou seja, visão, tato, audição e até olfato em situações especiais. Por exemplo, você pode perguntar ao cliente: você ficou feliz com o último trabalho, ou gostaria de mudar?
Perceber qual o estilo de vida e moda, quanto tempo tem para se arrumar e se produzir e qual a atividade profissional do cliente ajuda muito na escolha do serviço.
Podemos dividir o diagnóstico em duas partes:
• Estado do couro cabeludo e cabelo, para que possa analisar qual condição tem para receber o produto;
• Análise de tonalidade para sabermos qual a mistura e tipo de aplicação deverá ser feita para obtermos o resultado desejado.


ESTADO DO COURO CABELUDO
Na coloração, aplicamos o produto nos cabelos e couro cabeludo. Para o cabelo, que é um conjunto de células córnicas (não há vida), não há problemas de irritação, e sim ressecamento, caso mal procedido. Já no couro cabeludo, existe o sistema nervoso, tendo a possibilidade de causar irritação ou outros problemas mais graves (feridas, alergias).
Para evitar esses tipos de problemas, é necessário o diagnóstico do couro cabeludo. Analisar se não há ferimentos, irritação, ou qualquer outra anormalidade, usando sempre tato e visão para detectar.
Também poderá questionar junto ao cliente qual a frequência que lava os cabelos, pois no couro cabeludo existe um tipo de oleosidade que é produzida na glândula sebácea (sebinin), que protege o couro cabeludo e o cabelo.
Antes da coloração, não se deve lavar os cabelos e couro cabeludo para não remover a oleosidade que serve de proteção, pois o mesmo precisa dessa oleosidade natural para a proteção contra agentes de base alcalina (coloração, descoloração, tioglicolato, guanidina). Se o cliente lavou os cabelos antes, exige- se muito mais cuidado que o normal.
Por exemplo, questionar como foi lavado. Se a resposta for com as unhas, ou muita fricção, o melhor é adiar a coloração para outro dia, por estar com o couro cabeludo muito sensibilizado.
Em caso de uma lavagem suave, até poderá ser feito o trabalho, desde que prepare o cliente da sensibilidade (ardência) na aplicação do produto.


ESTADO DO CABELO
A composição da coloração é balanceada para cabelos normais (saudáveis). Portanto, uma aplicação errada poderá prejudicar o cabelo, e para evitar acidentes, deverá analisar o estado do cabelo.
Analisa-se o brilho do cabelo, a porosidade, etc., e também avaliar os produtos usados fora do salão, como hidratantes e condicionadores. O cuidado deverá ser redobrado, em caso de outras químicas como alisamentos e permanentes.
Poderá ser feita a coloração somente se o produto que for utilizado tem na sua composição tioglicolato, caso contrário não deve ser feito o trabalho.
Em caso de outras colorações, somente quando o produto utilizado for oxidativo, caso contrário, principalmente metálico, ocorre o risco muito grande de danificar totalmente o cabelo, o que pode resultar em quebra e queda.


ANÁLISE DE TONALIDADE
Para analisar a tonalidade, basicamente precisam ser considerados três itens:
• Cor natural;
• % de fios brancos;
• Cor desejada (cor cosmética).
A cor natural é um fator importante para saber o grau de clareamento, ou seja, volumagem de Ox.
A porcentagem de fios brancos define o uso de tons fundamentais para a cobertura. Quando menos de 30%, não é necessário utilizar tons fundamentais.
A escolha do produto a ser utilizado é feita a partir da análise de resultado da soma entre o produto e o fundo de clareamento da altura de tom desejada. O fundo de clareamento jamais deverá ser menosprezado no processo, pois de alguma forma ele vai se manifestar.



Esta técnica é aplicada nos cabelos em que existe concentração localizada de fios brancos.
Normalmente, os fios brancos pré-pigmentados ficam de 1⁄2 tom a 1 tom mais claros que os fios naturais coloridos. Quando os fios brancos são bem distribuídos, não são notáveis, mas quando a concentração é localizada, o realce de diferença de tom é maior.
Na pré-pigmentação, utiliza-se o amoníaco que contém na coloração para maior dilatação e penetração do produto.
Forma de preparação:
• 1 parte de tinta;
• 1 parte de água (H2O).
Para coloração mais clara, utiliza-se 1 tom mais claro que o tom desejado.
Para coloração mais escura, utiliza-se 1 tom mais escuro que o tom desejado. A aplicação é feita com pincel somente onde existe a concentração de fios brancos.
Passados 10 minutos, aplicar o preparado no cabelo todo, em toda a cabeça e por cima da mecha pré-pigmentada.



É utilizado em casos especiais como:
• Cabelos com reflexos ou luzes para uniformizar algum tom;
• Cabelos com coloração muito desbotada para uniformizar;
• Cabelo queimado do sol ou qualquer química;
• Cabelos descoloridos em altura de tom 8, 9 e 10 e que deseja-se escurecer a uma altura de tom 5 e 6.
A pigmentação aproveita a porosidade já existente no cabelo e a característica de acoplamento.
Forma de preparação:
• 1 parte de tinta (um tom mais escuro que o tom desejado, ou se necessário cores quentes como vermelho e acobreados). É necessário desenvolver os pigmentos do fundo de clareamento da cor desejada;
• 3 partes de água (H2O).
A aplicação torna-se mais fácil com aplicador, por ser o preparo muito líquido. Aplicar em todo o cabelo, massageando para uma penetração uniforme. Nessa hora, ainda não está ocorrendo acoplamento. Com isso, existem duas vantagens:
• Como a tinta é diluída em água, a concentração de amoníacos (que causa danos) é baixa;
• Como não é misturado com oxidante, é muito mais fácil a penetração (em forma de molécula).
Porém, em coloração sem oxidação (acoplamento), não há penetração de tons, por isso, precisa-se de um agente oxidante. Para isso, após 10 minutos de pausa, é necessário aplicar outro preparo:
• 1 parte de oxidante de 20 vol.;
• 1 parte de água.
Lembre-se que em 20 vol. existe potencial para clarear um ou mais tons. Por isso, é diluído para ter o valor necessário somente para o acoplamento. Aplica- se este preparo sobre a pigmentação, massageando bem, para a distribuição uniforme, deixando agir por 10 minutos, ou até obter o resultado desejado.



Após a aplicação das raízes:
• Adicionar 1 a 3 cm de uma nuance quente na mistura utilizada nas raízes;
• Escolher uma nuance da mesma altura de tom ou 1 tom mais escuro;
• Adicionar uma pequena quantidade de água quente;
• Aplicar a mistura.



É a preparação de um cabelo virgem para receber a primeira coloração de oxidação.
• Aplicar água oxigenada líquida de 20 ou 30 volumes (usar em todo o comprimento e as pontas do cabelo, a partir de 2 cm das raízes (com o auxílio de algodão ou esponja);
• Secar todo o cabelo (secador quente);
• Preparar o produto de coloração (com oxidante);
• Aplicar nas raízes, no comprimento e nas pontas (aplicação direta).



L’Oreal: Majirel / Majirouge / Supreme: raiz e comprimento.

· Comprimento A: 1 tubo e 1⁄4
· Comprimento B: 1 tubo e 1⁄2
· Comprimento C: 2 tubos

(Medidas para coloração Global)
Para retoque de raiz com crescimento de +- 3 cm, 3⁄4 do tubo.
L’Oreal: Majiblond / Majilift: retoque de raiz.
· Comprimento A: 1 tubo
· Comprimento B: 1 tubo e 1⁄4
· Comprimento C: 1 tubo e 1⁄2
(Medidas para coloração global)
Para retoque de raiz com crescimento de +- 3 cm, 3⁄4 do tubo).


TONALIZANTES
· Comprimento A: 30g
· Comprimento B: 40g
· Comprimento C: 50g

(Para tonalizações globais, na proporção de 1 por 2 de emulsão). Retoque de raiz: 30g



REFLEXOS

Touca:
· Comprimento A: 20 g (equivalente 1 copinho)
· Comprimento B: 40 g
· Comprimento C: 60 g

Proporção 1 por 1e 1⁄2 (1 medida de pó para 1 medida e 1⁄2 de Ox) para trabalhos abertos.
Papel:
· Comprimento A: 40 g
· Comprimento B: 60 g
· Comprimento C: 80 g

Proporção 1 por 1 (1 medida de pó para 1 medida de Ox) para trabalhos fechados (papel).
Retoques de raiz +- 3 cm:
· Touca: 20 g
· Papel: 40 g